sexta-feira, junho 02, 2006

Eu me confesso...

Cavaco vetou a lei da paridade. Agiu bem. Ainda lá não está nem há 3 meses e já começa a vetar coisas, o que é atitude estranha ao português, mas, na minha opinião, totalmente justa. É do nosso interesse, enquanto cidadãos, que os melhores decidam orientar-se para a política. Os entraves e desculpas baseadas no género deverão ser terraplanadas. De resto, se quem lá está é tudo homens ou tudo mulheres ou tudo gatos, é-me indiferente. Desde que sejam os melhores homens, as melhores mulheres ou os melhores gatos...

Pedro Veiga

|

terça-feira, abril 25, 2006

E chama-se o CDS um partido de Estado...

Pedro Veiga

|

quinta-feira, abril 20, 2006

Agora a culpa é da AR TV...

Alberto Martins quer reduzir o número de sessões plenárias e aumentar o trabalho de comissões

Quando criarem o Comissões TV. Ou então, nada feito. Trabalhem, malandros! (esta última foi a minha avó que gritou... mas eu concordo).

Pedro Veiga

|

quinta-feira, abril 13, 2006

Funcionários públicos confundem 25 de Abril com Vasco da Gama

Que quando se junta várias mulheres num mesmo espaço, o ciclo mestrual delas é "colectivizado", já se sabia. O que não se sabia é que pertencer à bancada parlamentar do CDS-PP provocava parentalidade crónica e multiplicativa...

Pedro Veiga

|

terça-feira, abril 11, 2006

Contras e Contras

O episódio desta noite do Prós e Contras deixou-me envergonhado. Um canal financiado pelos contribuintes foi, simplesmente, religiosamente sectário. Enquanto agnóstico, sinto-me confortável para compreender que, enquanto estado laico, Portugal será equidistante no que a religioões diz respeito. Explicando melhor: cada qual tem a sua opinião, a democracia é isso mesmo, mas quando um canal do estado, financiado por todos, logo reflexo de todos, pela voz da Fátima Campos Ferreira, se dirige a dois membros da comunidade muçulmana e se refere a ambos como "Vocês devem estar envergonhados de blá blá blá" e usa, recorrentemente, as expressões Nós e Vocês, não consigo esconder o meu repúdio. Nós, quem? Nós, portugueses? Os dois senhores em questão não o eram? Nós, europeus? Os dois senhores em questão não o eram? Nós, católicos? Agora, eu sou católico? Nós, cristãos? Agora, sou cristão? Nós quê? Há um nós que possa ser bradado em megafone estatal? Existe uma homogeneidade tal que ultrapasse as individualidades? Não sou muçulmano, cristão, hindu ou judeu. Não procuro justificações para os actos bárbaros de alguns pseudo-muçulmanos, como, historicamente, só os hipócritas procuram para Inquisição e afins. Mas recusar-me-ei, eternamente, a criar um conflito religioso ou civilizacional só porque o mundo é mais fácil de compreender a preto e branco. Se o medo torna daltónicos alguns, saibam que isso não é expressão de um país. Porque eu só me responsabilizo pelas minhas palavras. E eu darei a mão a quem precisar. Seja católico, muçulmano, judeu, hindu, budista ou até mesmo idiota.

Pedro Veiga

|

segunda-feira, abril 10, 2006

E os franceses ganham esta edição do Festival Eurovisão com a música "Je ne veux pas travailler"

Chirac substitui CPE por um plano de ajuda aos jovens

Pedro Veiga

|

domingo, abril 09, 2006

Segredos de Fátima, parte II

«He said that the President believes that he must do “what no Democrat or Republican, if elected in the future, would have the courage to do,” and “that saving Iran is going to be his legacy".»

«One former defense official, who still deals with sensitive issues for the Bush Administration, told me that the military planning was premised on a belief that “a sustained bombing campaign in Iran will humiliate the religious leadership and lead the public to rise up and overthrow the government.” He added, “I was shocked when I heard it, and asked myself, ‘What are they smoking?’ »

«Speaking of President Bush, the (democrat) House member said, “The most worrisome thing is that this guy has a messianic vision.” ?»


Afinal, uma menina que viu uma senhora a aparecer no meio de uma árvore de fruto contou-lhe ao ouvido que agora a conversão necessária não era a da Rússiam, mas sim a salvação do Irão...

Pedro Veiga

|

A partir de agora, só através de telegramas cantados...

"EU wiretaps increasing with less opposition" in Newsweek

Pedro Veiga

|